sexta-feira, 22 de abril de 2011

O PCdoB se desvirtuou?



Revista Isto É diz que entende de comunismo e acha que PCdoB se desvirtuou



Causa perplexidade amatéria escrita por Octávio Costa intitulada "Onde foram parar os comunistas?" e publicada na Revista Isto é de 04/04/2011. A matéria, que mais parece um editorial, é de uma fragilidade argumentativa notável. Procura defender a tese de que o PCdoB se desvirtuou ideologicamente pela sua participação no governo Lula e agora Dilma, conforme aparece no cabeçalho: "Quase 80 anos após a criação do primeiro Partido Comunista Brasileiro, os herdeiros de Luiz Carlos Prestes trocam o papel de paladinos da justiça social pelo de políticos famintos por cargos no governo federal". Na realidade, o texto revela o temor de classe diante do franco crescimento e aumento de influência política do PCdoB.


A tese se sustenta em três frágeis argumentos:


1) A disputa da Autoridade Pública Olímpica (APO), que segundo o jornalista é uma questão bem menos nobre e mais pragmatica do que os objetivos históricos do Partido;


2) A atuação do deputado Aldo Rabelo na defesa do novo Código Florestal, que segundo o texto coloca o PCdoB ao lado da bancada que representa o interesse dos grandes latifundiários brasileiros;


3) O ingresso no Partido do pagodeiro e agora vereador em São Paulo Netinho de Paula, que segundo Costa, "com certeza, não tem seu passado de militância comunista".


Vale registrar ainda o desconhecimento grosseiro do jornalista, que parece desconhecer o fato de que o PCB ainda existe e lançou candidatura própria a presidência nas últimas eleições.


Vejamos argumento por argumento para verificar a validade dos mesmos:


A participação do PCdoB no governo federal


O PCdoB apoiou Lula desde 1989. Quando finalmente Lula triunfou em 2003, foi uma decorrência lógica participar do governo. E de maneira brilhante, por sinal. O ministro Orlando Silva, dos Esportes, foi determinante para a vinda da Copa do Mundo e das Olimpíadas para o Brasil. O PCdoB ajudou Lula a fazer esse governo que teve mais de 80% de aprovação popular. E sempre teve claro que era um governo nos marcos do capitalismo. Porque se o jornalista não sabe, é importante lembrar que é esse o sistema que vige no país atualmente. E é dentro dos marcos o capitalismo que o PCdoB pretende construir uma sociedade mais avançada, uma sociedade socialista. E não poderia ser diferente para quem se pauta pelo materialismo dialético, que compreende que é a partir da realidade concreta que se deve atuar e não numa realidade ideal.


O novo Código Florestal


A polêmica do Código Florestal tem angariado muitas críticas ao deputado Aldo Rebelo (PCdoB/SP), relator da proposta de mudança, que tem sido taxado por ambientalistas de aliado dos latifundiários. Sem entrar no mérito do conteúdo do debate, vale destacar aqui o apoio da CONTAG a mudança de Aldo Rabelo. Para quem não sabe a CONTAG é uma Confederação sindical composta por agricultores familiares e não latifundiários. Vale destacar ainda a análise da EMATER que considera que o novo Código de Aldo favorece principalmente os pequenos agricultores que são os mais criminalizados pelas regras ambientais brasileiras, extremamente mais rígidas do que todass as legislações dos países da Europa, incluindo a Holanda, país sede da ONG GreenPeace, uma das maiores críticas de Aldo.


O vereador paulista Netinho de Paula


Essa última provocação do texto é o cúmulo da opinião preconceituosa e sem nenhum fundamento jornalístico. O texto decidiu sentenciar que o PCdoB "não tem formação ideológica nem ideais revolucionários". E exemplifica a tese com a entrada do pagodeiro Netinho de Paula, atualamente vereador pela sigla em São Paulo. O texto dispara a descrição preconceituosa do artista: "Pagodeiro, chegou ao partido como cacique trazendo consigo uma única credencial: a capacidade de aglutinar votos". Sobre isso, é importante dizer que o Partido não faz um teste de admissão e nem espera que ingressem em suas fileiras pessoas já formadas política e ideologicamente. Desta forma, é evidente que nem o Netinho de Paula e nem ninguém que entrou no PCdoB já entrou formado e preparado política e ideologicamente. O PCdoB, no entanto, tem sim uma escola de formação de quadros, uma Escola Nacional de Formação, da qual todos os militantes, inclusive o Netinho, participam durante toda a sua trajetória de militância, pois nem o o Netinho nem ninguém do Partido pode se dizer definitivamente formado. Desta forma, o PCdoB procura receber todas as pessoas que desejam se filiar sem preconceito, e foi para o Partido recebida com grande alegria a entrada de Netinho de Paula, pela sua trajetória a favor da população mais pobre e contra o racismo.


Ataque da Isto É revela que o crescimento do PCdoB está incomodando


Para a matéria da Isto é, o PCdoB se desvirtuou porque participa do governo, está redigindo o novo código florestal e admitiu a entrada do Netinho de Paula. Com todo respeito a esta revista importante dentro do contexto brasileiro, trata-se de uma opinião com pouca consistência. O PCdoB não abriu mão de seu programa socialista, e vem atuando diariamente tendo em vista seu objetivo estratégico. Para o PCdoB, o caminho para a construção de uma socioedade socialista é a construção de um Projeto Nacional de Desenvolvimento, e é isso que o Partido tem ajudado o governo Lula e agora Dilma a fazer. É legítimo que outras correntes de esquerda e que a sociedade em geral questione as ideias do PCdoB. Agora, que façam com fundamento. O texto de Octávio Costa nada mais é que uma artigo opinativo preconceituoso e raso que tem como único objetivo atacar a imagem do PCdoB tendo em vista o seu franco momento de crescimento e aumento de influência. O PCdoB está se tornando incômodo, pois está ficando grande, e isso ameaça e incomoda muita gente. Um fantasma assombra as editorias da imprensa burguesa brasileira: o fantasma do comunismo do Brasil, que tem a cara do nosso povo, que gosta de pagode, que entende a agricultura familiar, que coloca o país como sede da Copa e das Olimpíadas.


Vejo com bons olhos esse ataque. Sinal que estamos no caminho certo.


Igor Corrêa Pereira






Militante do PCdoB do Rio Grande do Sul.

6 comentários:

Mah Quintana disse...

Adorei teu texto companheiro. nota 10!

Diorge Konrad disse...

Caríssimo Camarada Igor!
Parabéns às lúcidas considerações em teu artigo.
Nosso crescimento é proporcional ao ataque que temos sofrido. Por que não falam de nosso projeto socialista??
Como dizem os antigos: "quem bate em cachorro morto"?
Bom feriado e um grande abraço

Yuri Saiye disse...

PCdoB ja nasceu desvirtuado. Comunismo é coisa do Demônio. Santo é o Capitalismo!

Luiza Bezerra disse...

Muito bom Igor! Parabéns!

PS: Poha! Disponibiliza os links pra compartilhar nas redes sociais esse texto! =D Besos

Claudio disse...

Bem Igor, concordo com vc. Bela defesa. ^^

Mas assim...
Não podemos ser ingenuos ao ponto de achar que tudo que a direita fala é bobagem. (palavras de um velho comunista. kkk)

Sabe.. temos que prestar muita atenção e cuidado. A autocritica é sempre importante. E nós como membros da juventude socialista temos que ser os primeiros, se necessário, a apontar os erros do partido.

Quero que fique bem claro. Não estou dizendo que eles tem razão(a direita), mas sim que devemos ficar atentos a não pagarmos um preço alto demais pelo crescimento. Acho que uma pergunta é crucial sempre. O partido precisa crescer. Mas até que preço?

Abraço Camarada!!!

Tayara disse...

Igor, muito bom! Adorei!