terça-feira, 11 de março de 2014

Cauê Moura: o novo "Enéias" que defende o golpe nazista na Ucrânia

Cauê Moura é mais um dentre a multidão de vlogueiros que surgem todos os dias na internet. Seu estilo polemista, com linguagem de mano de São Paulo, que lembra uma espécie de Enéias jovem, tem conquistado notoriedade. Seu canal no youtube fez realmente sucesso quando criou um vídeo em que criticava a versão de "Gangnam Style" do cantor Latino. O vídeo ultrapassou os 4,5 milhões de visualizações. O vlogueiro foi entrevistado pelo programa Pânico na Band por causa da polêmica.

O que me leva a escrever este texto não é o atrito sensacionalista de Cauê com Latino, mas sim seu posicionamento político e ideológico. Dentre os muitos vídeos com a temática política, me chamou atenção um onde recentemente ele desce a lenha nos rolezinhos nos shoppings e na esquerda que defende esses rolezinhos. Mas o que me chamou mesmo atenção foi um vídeo recente, intitulado "Terceira guerra mundial", onde ele comenta a situação na Ucrânia.

Versão de Cauê: o "povo" se revoltou e a oposição tomou o poder na Ucrânia
No vídeo de 6 minutos Cauê Moura resume sua versão sobre o golpe que derrubou o governo da Ucrânia. Segundo ele, após o presidente da Ucrânia recusar um acordo econômico com a União Européia, o "povo" se revoltou e foi pra rua protestar. Aí o "povo" começou a ser violentamente reprimido pela polícia, resistiu, e nesse meio tempo a oposição tomou o poder. Depois disso, o presidente da Rússia complicou as coisas enviando tropas para a Criméia e agora existe uma ameaça de terceira guerra mundial. Ele termina advertindo que numa suposta Terceira Guerra Mundial, a presidenta Dilma pode se aliar aos cubanos para defender o "império vermelho da Eurásia contra os ianques, porque sabe como a Dilma é né?" Ou seja, a mesma versão do Jornal Nacional, só que com mais gritos e palavrões.

"Os neonazistas tomaram o poder na Ucrânia", denuncia Vitrenko

A presidenta do partido socialista e progressista da Ucrânia Natália Vitrenko tem uma versão bem diferente da contada pelo Cauê. Depois do golpe ocorrido na Ucrânia ela está percorrendo a Europa para alertar que seu país foi dominado pelo nazismo. Ela lembra que o nazismo tirou a vida de milhões de europeus no passado. "Simplesmente é necessário que todos percebam: os neonazistas tomaram o poder na Ucrânia", denuncia Vitrenko, que afirma claramente que o novo governo implantado  após o golpe dado por pela violẽncia de grupos paramilitares armados, é formado pelo partido Svoboda, de ideologia ultranacionalista e que adota o símbolo da suástica nazista. "É uma desgraça para toda a Europa, que deve unir-se para defender seus valores: a democracia, os direitos humanos, a presunção de inocência, os direitos das minorias, e evidentemente o rechaço ao nazismo", afirma.

Carta Capital: "neonazistas foram a ponta de lança dos protestos"
A matéria da revista Carta Capital dessa semana também desmente a versão de Cauê de que o "povo" protestou nas ruas. O jornalista Antõnio Luiz Costa denuncia que "neonazistas foram a ponta de lança dos protestos". Segundo o jornalista, "após a queda de Yanukovich, os judeus foram aconselhados a deixar Kiev". A revista ainda afirma que "se o novo regime não contiver seus radicais, arrisca uma intervenção russa e uma crise mundial". Os "radicais" a que se refere a revista são os que desfraldam a bandeira negra e vermelha do ultranacionalista Exército Insurgente da Ucrânia na praça de Kiev.

Evidente que nesse espaço não se destina a explicar uma questão complexa como a da Ucrânia. A ideia é mostrar que o vídeo de Cauê Moura, que usa uma linguagem jovem sobre um assunto complexo e relevante, na prática defende um golpe nazista. Cauê pode mudar a linguagem, mas sua ideia é muito próxima da linha editorial da Veja e do Jornal Nacional.

Dito isto, fica aqui a pergunta: seria Cauê um novo Enéias? Vale lembrar que Enéias também era barbudo, tinha uma fala histérica e gritada, e uma ideologia ultranacionalista de direita. O estilo de Enéias fez tanto sucesso que foi o deputado mais bem votado da história de São Paulo. Cauê, assim como Enéias, vem atraído multidões com seus vídeos, defendendo com um estilo que chama atenção ideias bastante retrógradas. Outro exemplo mais recente dessa linha "direita revoltadinha" é o músico Lobão. O roqueiro regula de estilo com Cauê, seu jeito provocador para defender ideias retrógradas como a ditadura militar no Brasil.

Parece que a direita no Brasil vai se reinventando. Utilizando jeitos novos para dizer as velhas e violentas besteiras.

4 comentários:

Anônimo disse...

De onde você tirou que Cauê Moura é de ultra-direita? HAUHAHAHAHAHAUAA ele votou na Dilma, fez vídeo criticando a ditadura militar e vive falando mal de caras como Feliciano e Bolsonaro, da gRobo e da Veja. Ultra-direita aham
Você ao menos pesquisou um pouco sobre o canal?

Anônimo disse...

Ah, e sobre os rolezinhos ele também desceu a lenha nos playboys que ficam xingando os pobres, criticou todo mundo, os rolezinhos, os defensores e os haters

Anônimo disse...

Respeite o saudoso Enéias, comparar esse vendido do Caue Moura que é petista assumido (https://www.youtube.com/watch?v=Oj0oVX-0aqo) com o Enéias é no mínimo um absurdo.

Anônimo disse...

TEM NADA A VER COM O ENÉIAS ESSE ESQUERDISTA IDIOTA AI!